Crato registrou morte por calazar em 2019

Prefeitura do Crato não divulga ações para evitar que a doença se espalhe.

DA AGÊNCIA CARIRICEARA COM JORNAL DA PRINCESA FM
Henrique Macedo Foto: Jota Lopes/Agência Caririceara.com

Centro de zoonoses sucateado, constantes reclamações da população e a falta de interesse do poder público em resolver a situação tem sido uma triste realidade no Crato. Pra piorar, em 2019 uma morte por calazar foi registrada no município, conforme divulgado pelo Boletim Epidemiológico da Secretaria da Saúde do Ceará, na semana passada.

De acordo com a SESA, no cariri, em 2019, 47 casos da doença e cinco óbitos foram registrados. Mauriti e Várzea Alegre tiveram duas mortes cada e o Crato, uma.

Segundo a comerciante Antônia Aguiar, não há divulgação ou qualquer tipo de trabalho preventivo por parte da prefeitura para evitar a propagação da doença.

“Eu não observo divulgação da prefeitura do Crato e nem cuidados com os cachorros de rua para evitar que a doença se espalhe. Ali perto do mercado central tem cachorro doente, mas parece que o centro de zoonoses só serve para cabide de emprego”, reclama Aguiar.

Mais reclamação

Duas pessoas que preferiram não se identificar reclamaram a nossa reportagem o descaso em que se encontra atualmente o Centro de Zoonoses do Crato.

Ação Civil Pública

Em 2018, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), através da Promotoria de Justiça do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Crato, ingressou com ação civil pública contra o Município requerendo a reestruturação do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) municipal, de modo adequá-lo ao projeto do CCZ – Tipo 2, disposto nas Diretrizes para Projetos Físicos de Unidade de Controle de Zoonoses e Fatores Biológicos de Risco, elaborado pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Por meio de Inquérito Civil Público, o MPCE realizou uma série de diligências e audiências com os órgão municipais responsáveis e entidades não governamentais, inclusive vistoria pessoal nas dependências do CCZ, e concluiu que as instalações atuais desatendem grande parte dos requisitos e protocolos estabelecidos na legislação correlata.

Além do pedido de adequação ao projeto CCZ – Tipo 2, a ação civil pública ainda requer a adoção de campanhas periódicas sobre vacinação animal, castração, controle e natalidade, construção de abrigo/alojamento para animais, adoção de animais, entre outros. Porém, até hoje a prefeitura do Crato não tem mostrado interesse em realizar a reestruturação do equipamento.

Calazar

A Leishmaniose Visceral, conhecida como calazar, é uma zoonose (doença transmitida por animal) de evolução crônica, ou seja, que fica por meses no corpo humano, e que acomete todo o corpo. Se não tratada, pode levar à morte em até 90% dos casos.

Para prevenir, a recomendação é manter quintais e terreiros limpos, com árvores podadas; evitar acúmulo de lixo orgânico, como restos de comida, montes de folhas ou fezes de animais; e descartar resíduos corretamente. Além disso, garantir a higiene e vacinação dos animais, usando produtos veterinários repelentes (coleiras, sprays e xampus).

Boletim Epidemiológico – Leishmaniose Visceral: boletim_leishimaniose_20_12_2019

A republicação é gratuita desde que citada a fonte.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



TOP MOVEIS - Janeiro 2020
Mult Service_Novembro_2019
Dr. João Henrique

Enquete

VOCÊ ACHA QUE BOLSONARO ACERTOU AO BRIGAR COM SEU PARTIDO, O PSL?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...
© Copyright 2019 — Caririceara.com. Todos os direitos reservados