Gilmar Mendes dá liminar para impedir investigação contra Greenwald por acesso a material vazado

Glenn Greenwald (Foto- Edilson Rodrigues-Agência Senado)

Glenn Greenwald (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, concedeu uma liminar para impedir que o jornalista norte-americano Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil, seja alvo de qualquer tipo de investigação por autoridades públicas em razão de ter tido acesso e noticiado informações publicadas pelo veículo que trabalha.

O Intercept Brasil tem noticiado, desde o início de junho, reportagens que atribuem supostos diálogos travados pelo ex-juiz da Lava Jato e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e procuradores da força-tarefa da operação em que discutiriam a atuação.

Recentemente, o próprio Mendes foi alvo de reportagens em que procuradores supostamente discutem o impeachment do ministro do Supremo, um crítico da Lava Jato.

Mendes disse na decisão que a atividade jornalística tem proteção prevista na Constituição e não pode ser “vilipendiada por atos investigativos dirigidos ao jornalista no exercício regular da sua profissão”.

“É corolário imediato da liberdade de expressão o direito de obter, produzir e divulgar fatos e notícias por quaisquer meios. O sigilo constitucional da fonte jornalística (art. 5º, inciso XIV, da CF) impossibilita que o Estado utilize medidas coercivas para constranger a atuação profissional e devassar a forma de recepção e transmissão daquilo que é trazido a conhecimento público”, disse Mendes.

(Reportagem de Ricardo Brito)

Reuters

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade




Facebook

Publicidade

© Copyright 2019 — Caririceara.com. Todos os direitos reservados