Natação ajuda a desenvolver habilidades motoras do bebê

Luciana Gertum com a filha Manuela Moreira Gertum, de 1 ano e meio, que faz natação desde quando tinha 6 meses de idade – Foto: Divulgação

Por ser uma atividade que produz pouco impacto e desenvolve uma série de habilidades, a natação é indicada a diversas faixas etárias, inclusive para bebês. Nos mais novos, a atividade ajuda na preparação para o auto salvamento, além de tranquilizar o sono, estimular o apetite e melhorar a memória.

— Ela previne algumas doenças respiratórias, proporciona benefícios físicos como resistência cardiovascular, neuromuscular e ainda melhora a coordenação motora. A natação estimula a criança a engatinhar, sentar e andar com mais facilidade — afirma Theresa Samico, profissional de educação física e coordenadora do Parque Aquático da Velox.

Os benefícios são reconhecidos pela família da pequena Manuela, de 1 ano e meio.

— Percebemos que ela tem um bom desenvolvimento motor, já mergulha sozinha e sabe que pode segurar na borda, o que é importante para a segurança dela — conta a mãe, a advogada Luciana Gertum, de 36 anos.

A partir dos 6 meses de idade e com liberação do pediatra, a criança já pode dar as primeiras braçadas na piscina.

— Nesta idade o bebê já tomou boa parte das vacinas, a imunidade já está melhor e o duto do ouvido estará bem desenvolvido, o que diminui o risco de infecções — explica Nayara Figueira, pediatra da Clínica Proattiva.

Além dos benefícios físicos, a natação estreita os laços entre pais e filhos, já que um responsável precisa acompanhar a criança na atividade.

— É importante verificar se o local onde a atividade é realizada tem piscinas adequadas para prática de natação para bebês, com temperatura e tratamento ideais, e se os profissionais que dão aula têm registro no Conselho de Educação Física — orienta Renata Tarevnic, especialista em natação para gestantes e bebês.

Extra online