Odor na água preocupa os icoenses
Desde janeiro de 2017 que a ADILCOL, SAAE e CORGERH, chamam a atenção dos icoenses para o baixíssimo volume de água no Açude Lima Campos, responsável pelo abastecimento humano no município.
A Faculdade Vale do Salgado, chegou a montar uma campanha com seus estudantes, para alertar as autoridades e a população sobre o caos iminente e a possível falta de água para o consumo humano.
Foram distribuídos panfletos, adesivos, e o Diretor do SAAE de Icó, Deusimar Ramos, foi diversas vezes alertar sobre o assunto nos meios de comunicação.
A prefeita de Icó Lais Nunes foi ao governo do estado em busca de alternativas. Também por várias vezes se reuniu com irrigantes e cidadãos na Escola Técnica Profissionalizante, com representantes do governo do estado acerca do assunto.
O certo é que hoje estamos quase sem água. A água que chega aos icoenses, em suas torneiras de suas residências, “está podre e com muito odor”.
Sem possibilidade para sequer escovar os dentes e para cozinhar o que seja.
“Temos alertado a população para o uso racional da água em Icó. O SAAE tem feito o possível, mas o baixo volume inviabiliza um melhor tratamento e não podemos exagerar com os produtos químicos”, esclareceu Gustavo Nogueira.
Mas enquanto Isso, a gente observa pessoas ainda lavando a calçada, carro, tomando banho por vários minutos, como se estivesse tudo normal.
Estamos a poucos dias de faltar água total.
Fonte: Blog Icó na Rede