Polêmica com MP gera crise na equipe econômica

Foto:  Sérgio Lima Poder360 – 1º.out.2019 Bolsonaro e Paulo Guedes: repercussão da MP que liberava suspensão de contratos criou tensão entre o presidente o ministro da Economia.

A MP 927, que permitiria o afastamento de trabalhadores sem remuneração por até 4 meses, elevou a tensão no governo e na equipe econômica. Teleconferência que haveria às 14h desta 2ª feira (23.mar) entre o presidente Jair Bolsonaro e Paulo Guedes foi cancelada por problemas técnicos segundo o Planalto.

O texto da MP ficou pronto para ir ao Diário Oficial por volta das 23h de domingo. Na manhã desta 2ª feira (23.mar), a bomba estourou. O presidente telefonou para o ministro da Economia, que estava no Rio.

Paulo Guedes em seguida falou com Bruno Bianco, secretário Especial de Previdência e Trabalho. Sobrou para Bianco, que teve de assumir que preferiu baixar a MP deixando para depois regulamentar as medidas compensatórias –algo que já havia sido discutido internamente no governo.

Houve muita tensão nas conversas entre Bolsonaro e Guedes e no diálogo entre Guedes e Bianco.

Não será hoje nem há prazo para anunciar novamente algum tipo de licença não remunerada combinada com alguma compensação do governo.

O governo queria oferecer o seguinte (e isso acabou ficando de fora da MP baixada no domingo):

licença com corte de 50% do salário – nesse caso, o governo complementaria a renda do trabalhador com mais 25% do salário original. Quem ganhava R$ 2.000 iria para casa por 4 meses recebendo R$$ 1.500 (R$ 1.000 do patrão e R$ 500 vindos dos cofres estatais);
licença com corte de 66% do salário – nesse caso, o governo completaria a renda do trabalhador com mais 33% do salário original. O salário de R$ 2.000 seria reduzido para R$ 1.340 (R$ 680 pagos pelo patrão e R$ 660 do governo).

Ao permitir o afastamento dos trabalhadores, o governo tinha o objetivo de impedir o aumento do desemprego em meio à pandemia da covid-19. Mas fazer isso sem compensação salarial tinha resultaria em 2 problemas.

Do lado econômico, levaria a uma brutal queda da renda. A razão para isso é que as empresas teriam muito mais facilidade de afastar funcionários do que de demiti-los. Isso teria efeito devastador para a atividade econômica.

Do ponto de vista político, o desastre seria imediato. Partidos de centro e de esquerda já estavam atacando a proposta, com ameaça de recorrer à Justiça para derrubá-la. Isso poderia corroer o apoio político que o governo ainda tem na sociedade.

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Top Móveis_Crato Janeiro 2020
Multiservice - Fauston
Banner Câmara do Crato -FEV.2020
Nilton e Célia

Enquete

VOCÊ ACHA QUE BOLSONARO ACERTOU AO BRIGAR COM SEU PARTIDO, O PSL?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...
© Copyright 2019 — Caririceara.com. Todos os direitos reservados