Veja os artistas que nos deixaram em 2020

O ano de 2020 foi cercado de incertezas, desafios e, certamente ficará marcado na vida de muitas pessoas. Durante este período, além da pandemia, os brasileiros tiveram que lidar com a perda de diversos artistas que cravaram o nome na história do país, seja na dramaturgia ou na música. Aldir Blanc, Chica Xavier, Vanusa, Cecil Thiré entre outros nomes, saíram de cena. Veja outros alguns dos artistas que morreram em 2020

Em fevereiro, o cineasta paulistano José Mojica Marins, que ficou conhecido em todo o país pelo personagem Zé do Caixão, morreu aos 83 anos, em decorrência de uma broncopneumonia. Aos 27 anos, o diretor já contabilizava dois longas-metragens em seu currículo: o faroeste “Sina de aventureiro” (1957) e o drama “Meu destino em suas mãos” (1961). Durante a carreira, ele abriu a produção audiovisual do Brasil para um dos filões mais populares da ficção: o horror, gênero no qual Mojica virou um mestre, dirigindo e atuando.
Em fevereiro, o cineasta paulistano José Mojica Marins, que ficou conhecido em todo o país pelo personagem Zé do Caixão, morreu aos 83 anos, em decorrência de uma broncopneumonia. Aos 27 anos, o diretor já contabilizava dois longas-metragens em seu currículo: o faroeste “Sina de aventureiro” (1957) e o drama “Meu destino em suas mãos” (1961). Durante a carreira, ele abriu a produção audiovisual do Brasil para um dos filões mais populares da ficção: o horror, gênero no qual Mojica virou um mestre, dirigindo e atuando. Foto: Agência O Globo

Zé do Caixão

Em fevereiro, o cineasta paulistano José Mojica Marins, que ficou conhecido em todo o país pelo personagem Zé do Caixão, morreu aos 83 anos, em decorrência de uma broncopneumonia. Aos 27 anos, o diretor já contabilizava dois longas-metragens em seu currículo: o faroeste “Sina de aventureiro” (1957) e o drama “Meu destino em suas mãos” (1961). Durante a carreira, ele abriu a produção audiovisual do Brasil para um dos filões mais populares da ficção: o horror, gênero no qual Mojica virou um mestre, dirigindo e atuando.

Também no início do ano, morreu o locutor de rodeios Asa Branca. Ele lutava contra um câncer na mandíbula há dois anos. Asa Branca ganhou este apelido porque tinha a mania de pegar passarinhos. Na década de 90 ele ficou nacionalmene conhecido por narrar os principais rodeios do Brasil e no auge da carreira chegou a faturar cerca de R$ 300 mil por mês. Além do seu principal trabalho, ele também fez participações em novelas como Mulheres de Areia e O Rei do Gado.

Também no início do ano, morreu o locutor de rodeios Asa Branca. Ele lutava contra um câncer na mandíbula há dois anos. Asa Branca ganhou este apelido porque tinha a mania de pegar passarinhos. Na década de 90 ele ficou nacionalmene conhecido por narrar os principais rodeios do Brasil e no auge da carreira chegou a faturar cerca de R$ 300 mil por mês. Além do seu principal trabalho, ele também fez participações em novelas como Mulheres de Areia e O Rei do Gado. Foto: Reprodução

Asa Branca

Também no início do ano, morreu o locutor de rodeios Asa Branca. Ele lutava contra um câncer na mandíbula há dois anos. Asa Branca ganhou este apelido porque tinha a mania de pegar passarinhos. Na década de 90 ele ficou nacionalmene conhecido por narrar os principais rodeios do Brasil e no auge da carreira chegou a faturar cerca de R$ 300 mil por mês. Além do seu principal trabalho, ele também fez participações em novelas como Mulheres de Areia e O Rei do Gado.

Em março, o cantor e compositor baiano Moraes Moreira, morreu aos 72 anos. Ele sofreu um infarto fulminante e foi encontrado pela empregada, às 6 da manhã, caído em casa, no Rio de Janeiro. Um dos maiores artistas da música popular brasileira, Moraes ficou célebre por sucessos como

Em março, o cantor e compositor baiano Moraes Moreira, morreu aos 72 anos. Ele sofreu um infarto fulminante e foi encontrado pela empregada, às 6 da manhã, caído em casa, no Rio de Janeiro. Um dos maiores artistas da música popular brasileira, Moraes ficou célebre por sucessos como “Lá vem o Brasil descendo a ladeira”, “Pombo correio”, “Sintonia” e, com o grupo Novos Baianos, “Preta pretinha”, “Mistério do Planeta” e “Acabou chorare” (essas, compostas em parceria com o poeta e integrante do grupo Luiz Galvão). Foto: Divulgação

Moraes Moreira

Em março, o cantor e compositor baiano Moraes Moreira, morreu aos 72 anos. Ele sofreu um infarto fulminante e foi encontrado pela empregada, às 6 da manhã, caído em casa, no Rio de Janeiro. Um dos maiores artistas da música popular brasileira, Moraes ficou célebre por sucessos como “Lá vem o Brasil descendo a ladeira”, “Pombo correio”, “Sintonia” e, com o grupo Novos Baianos, “Preta pretinha”, “Mistério do Planeta” e “Acabou chorare” (essas, compostas em parceria com o poeta e integrante do grupo Luiz Galvão).

No dia 4 de maio, o ator Flávio Migliaccio, de 85 anos, foi encontrado morto em seu sítio na Serra do Sambê, em Rio Bonito, no estado do Rio. O corpo dele foi encontrado pelo caseiro, Nelson Soares da Silva, em seu quarto. O último trabalho do ator na TV foi o Mamede, de
No dia 4 de maio, o ator Flávio Migliaccio, de 85 anos, foi encontrado morto em seu sítio na Serra do Sambê, em Rio Bonito, no estado do Rio. O corpo dele foi encontrado pelo caseiro, Nelson Soares da Silva, em seu quarto. O último trabalho do ator na TV foi o Mamede, de “Órfãos da terra”. Flávio ficou muito conhecido com o seriado infantil “Shazan, xerife & cia”ao lado de Paulo José e, mais tarde, pelo papel de Seu Chalita em “Tapas & beijos”. Na época, o boletim de ocorrência foi feito pela quarta companhia do 35º BPM (Itaboraí) e registrou a morte como suicídio. Flávio também teria deixado uma carta para família em que traz queixas da dificuldade da velhice no Brasil. Foto: Divulgação

Flávio Migliaccio

No dia 4 de maio, o ator Flávio Migliaccio, de 85 anos, foi encontrado morto em seu sítio na Serra do Sambê, em Rio Bonito, no estado do Rio. O corpo dele foi encontrado pelo caseiro, Nelson Soares da Silva, em seu quarto. O último trabalho do ator na TV foi o Mamede, de “Órfãos da terra”. Flávio ficou muito conhecido com o seriado infantil “Shazan, xerife & cia”ao lado de Paulo José e, mais tarde, pelo papel de Seu Chalita em “Tapas & beijos”. Na época, o boletim de ocorrência foi feito pela quarta companhia do 35º BPM (Itaboraí) e registrou a morte como suicídio. Flávio também teria deixado uma carta para família em que traz queixas da dificuldade da velhice no Brasil.

Aldir Blanc morreu no dia 4 de maio, aos 73 anos, em decorrência do novo coronavírus. Nascido no Estácio, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, em 1946, Aldir Blanc era curioso, observador e logo se embrenhou pelos encantamentos das ruas, dos tipos humanos e das manifestações culturais de sua cidade, cultivando suas principais paixões desde cedo: o futebol do Club de Regatas Vasco da Gama, o samba da Acadêmicos do Salgueiro, a vida boêmia, as pequenas e deliciosas histórias do cotidiano, a visão crítica e ácida sobre política e desigualdades sociais, e a poesia, que começou a escrever aos 16 anos.
Aldir Blanc morreu no dia 4 de maio, aos 73 anos, em decorrência do novo coronavírus. Nascido no Estácio, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, em 1946, Aldir Blanc era curioso, observador e logo se embrenhou pelos encantamentos das ruas, dos tipos humanos e das manifestações culturais de sua cidade, cultivando suas principais paixões desde cedo: o futebol do Club de Regatas Vasco da Gama, o samba da Acadêmicos do Salgueiro, a vida boêmia, as pequenas e deliciosas histórias do cotidiano, a visão crítica e ácida sobre política e desigualdades sociais, e a poesia, que começou a escrever aos 16 anos. Foto: Divulgação

Aldir Blanc

Aldir Blanc morreu no dia 4 de maio, aos 73 anos, em decorrência do novo coronavírus. Nascido no Estácio, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, em 1946, Aldir Blanc era curioso, observador e logo se embrenhou pelos encantamentos das ruas, dos tipos humanos e das manifestações culturais de sua cidade, cultivando suas principais paixões desde cedo: o futebol do Club de Regatas Vasco da Gama, o samba da Acadêmicos do Salgueiro, a vida boêmia, as pequenas e deliciosas histórias do cotidiano, a visão crítica e ácida sobre política e desigualdades sociais, e a poesia, que começou a escrever aos 16 anos.

Em agosto, a atriz Francisca Xavier Queiroz de Jesus, a Chica Xavier, morreu aos 88 anos, em decorrência de um câncer. Ela era uma das grandes personalidades da representatividade negra na arte brasileira.
Em agosto, a atriz Francisca Xavier Queiroz de Jesus, a Chica Xavier, morreu aos 88 anos, em decorrência de um câncer. Ela era uma das grandes personalidades da representatividade negra na arte brasileira. Foto: Divulgação

Chica Xavier

Em agosto, a atriz Francisca Xavier Queiroz de Jesus, a Chica Xavier, morreu aos 88 anos, em decorrência de um câncer. Ela era uma das grandes personalidades da representatividade negra na arte brasileira.

Foto: Rede Globo/Divulgação

Daisy Lúcidi

A atriz e radialista Daisy Lúcidi nos deixou aos 90 anos, vítima de complicações da Covid-19. Ela participou do primeiro elenco de atores da Rádio Globo. Comandou durante 46 anos o programa “Alô Daisy”, na Rádio Nacional.Sua última participação em novelas da TV Globo foi em “Geração Brasil” (2014).

Arnaldo Saccomani

O produtor musical morreu vítima de complicações renais, três dias após completar 71 anos, em agosto. Conhecido do grande público por sua participação como jurado de programas de TV como “Ídolos” e “Qual é o seu talento?”, Saccomani trabalhou com grandes nomes como Rita Lee, Fábio Júnior, Tim Maia, o cantor mexicano Luis Miguel e esteve por trás do sucesso dos grupos de pagode romântico e também do femômeno Mamonas Assassinas.

No mesmo mês, o ator Gésio Amadeu morreu aos 73 anos, por complicações da Covid-19. Astro de
No mesmo mês, o ator Gésio Amadeu morreu aos 73 anos, por complicações da Covid-19. Astro de “Chiquititas” e nos anos 1990 e do “Sítio do Pica Pau Amarelo” com Tio Barnabé, Gésio emplacou 45 trabalhos na televisão e esteve em tramas como “Beto Rockfeller”, “Os Imigrantes”. Grande amigo de trabalho de Benedito Ruy Barbosa, ele esteve em novelas como “Renascer”, “Terra Nostra” e “Velho Chico”. Foto: Divulgação

Gésio Amadeu

No mesmo mês, o ator morreu aos 73 anos, por complicações da Covid-19. Astro de “Chiquititas” e nos anos 1990 e do “Sítio do Pica Pau Amarelo” com Tio Barnabé, Gésio emplacou 45 trabalhos na televisão e esteve em tramas como “Beto Rockfeller”, “Os Imigrantes”. Grande amigo de trabalho de Benedito Ruy Barbosa, ele esteve em novelas como “Renascer”, “Terra Nostra” e “Velho Chico”.

Em outubro, o ator Cecil Thiré morreu aos 77 anos, enquanto dormia, em sua casa no Humaitá. Filho da atriz Tônia Carrero, ele enfrentava o mal de Parkinson há alguns anos. Além de dirigir obras no cinema e no teatro, Cecil ficou marcado por seus papéis na televisão, como Mário Liberato em
Em outubro, o ator Cecil Thiré morreu aos 77 anos, enquanto dormia, em sua casa no Humaitá. Filho da atriz Tônia Carrero, ele enfrentava o mal de Parkinson há alguns anos. Além de dirigir obras no cinema e no teatro, Cecil ficou marcado por seus papéis na televisão, como Mário Liberato em “Roda de Fogo” (1987) e Adalberto em “A próxima vítima” (1995). Foto: Reprodução/TV Globo

Cecil Thiré

Em outubro, o ator morreu aos 77 anos, enquanto dormia, em sua casa no Humaitá. Filho da atriz Tônia Carrero, ele enfrentava o mal de Parkinson há alguns anos. Além de dirigir obras no cinema e no teatro, Cecil ficou marcado por seus papéis na televisão, como Mário Liberato em “Roda de Fogo” (1987) e Adalberto em “A próxima vítima” (1995).

Em novembro, o ator Tom Veiga, de 43 anos, intérprete do Louro José no programa
Em novembro, o ator Tom Veiga, de 43 anos, intérprete do Louro José no programa “Mais Você”, foi encontrado morto em seu apartamento no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio. Personagem superpopular da TV, Tom era companheiro de Ana Maria Braga na Rede Globo há pelo menos 20 anos e, por muito tempo, manteve sua identidade escondida. Foto: Reprodução

Tom Veiga

Em novembro, o ator Tom Veiga, de 43 anos, intérprete do Louro José no programa “Mais Você”, foi encontrado morto em seu apartamento no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio. Personagem superpopular da TV, Tom era companheiro de Ana Maria Braga na Rede Globo há pelo menos 20 anos e, por muito tempo, manteve sua identidade escondida.

Na mesma época, a cantora Vanusa morreu aos 73 anos, na casa de repouso onde vivia há mais de dois anos em Santos, no litoral de São Paulo. Vanusa não aparecia em público desde 2017, quando foi internada em uma clínica psiquiátrica para tratar uma depressão que a levou ao vício em calmantes. Ao longo da carreira, a artista gravou 23 discos e vendeu mais de três milhões de cópias, além de ter representado o Brasil em vários festivais internacionais e recebido cerca de 200 prêmios. Por dois anos seguidos foi eleita a Rainha da Televisão. 
Na mesma época, a cantora Vanusa morreu aos 73 anos, na casa de repouso onde vivia há mais de dois anos em Santos, no litoral de São Paulo. Vanusa não aparecia em público desde 2017, quando foi internada em uma clínica psiquiátrica para tratar uma depressão que a levou ao vício em calmantes. Ao longo da carreira, a artista gravou 23 discos e vendeu mais de três milhões de cópias, além de ter representado o Brasil em vários festivais internacionais e recebido cerca de 200 prêmios. Por dois anos seguidos foi eleita a Rainha da Televisão. 

Vanusa

Na mesma época, a cantora morreu aos 73 anos, na casa de repouso onde vivia há mais de dois anos em Santos, no litoral de São Paulo. Vanusa não aparecia em público desde 2017, quando foi internada em uma clínica psiquiátrica para tratar uma depressão que a levou ao vício em calmantes. Ao longo da carreira, a artista gravou 23 discos e vendeu mais de três milhões de cópias, além de ter representado o Brasil em vários festivais internacionais e recebido cerca de 200 prêmios. Por dois anos seguidos foi eleita a Rainha da Televisão.

Um dos veteranos da TV, também em novembro, Jonas Mello foi encontrado morto em seu apartamento, em São Paulo. Atualmente, o ator está no ar na reprise de
Um dos veteranos da TV, também em novembro, Jonas Mello foi encontrado morto em seu apartamento, em São Paulo. Atualmente, o ator está no ar na reprise de “Flor do Caribe” e seu último trabalho na televisão. Ultimamente, ele se dedicava à dublagem de filmes e, ao longo da carreira, trabalhou em diversas emissoras. Foto: Reprodução

Jonas Mello

Um dos veteranos da TV, também em novembro, Jonas Mello foi encontrado morto em seu apartamento, em São Paulo. Atualmente, o ator está no ar na reprise de “Flor do Caribe” e seu último trabalho na televisão. Ultimamente, ele se dedicava à dublagem de filmes e, ao longo da carreira, trabalhou em diversas emissoras.

O principal vocalista do Roupa Nova, Paulo César Santos, de 68 anos, o Paulinho, morreu em dezembro, em decorrência da covid-19. À frente do Roupa Nova, desde a década de 1970, quando o grupo ainda se chamava
O principal vocalista do Roupa Nova, Paulo César Santos, de 68 anos, o Paulinho, morreu em dezembro, em decorrência da covid-19. À frente do Roupa Nova, desde a década de 1970, quando o grupo ainda se chamava “Os Famks” e depois “Os Motokas”, Paulinho foi o dono da voz responsável por embalar os grandes sucessos do grupo, como “Whisky a Go-Go”, “Meu universo é você”, “Sensual” e “Canção de Verão”. Foto: Divulgação

Paulinho do Roupa Nova

O principal vocalista do Roupa Nova, Paulo César Santos, de 68 anos, o Paulinho, morreu em dezembro, em decorrência da covid-19. À frente do Roupa Nova, desde a década de 1970, quando o grupo ainda se chamava “Os Famks” e depois “Os Motokas”, Paulinho foi o dono da voz responsável por embalar os grandes sucessos do grupo, como “Whisky a Go-Go”, “Meu universo é você”, “Sensual” e “Canção de Verão”.

Em dezembro, Eduardo Galvão morreu aos 58 anos, vítima de Covid-19. O último trabalho de Galvão na TV Globo foi na novela 'Bom Sucesso', no ano passado, interpretando o Dr. Machado. Também na Globo, atuou no infantil 'Caça Talentos', ao lado da apresentadora Angélica, e em tramas como 'Despedida de Solteiro' e 'Porto dos Milagres'.
Em dezembro, Eduardo Galvão morreu aos 58 anos, vítima de Covid-19. O último trabalho de Galvão na TV Globo foi na novela ‘Bom Sucesso’, no ano passado, interpretando o Dr. Machado. Também na Globo, atuou no infantil ‘Caça Talentos’, ao lado da apresentadora Angélica, e em tramas como ‘Despedida de Solteiro’ e ‘Porto dos Milagres’. Foto: TV Globo/ Divulgação

Eduardo Galvão

Em dezembro, Eduardo Galvão morreu aos 58 anos, vítima de Covid-19. O último trabalho de Galvão na TV Globo foi na novela ‘Bom Sucesso’, no ano passado, interpretando o Dr. Machado. Também na Globo, atuou no infantil ‘Caça Talentos’, ao lado da apresentadora Angélica, e em tramas como ‘Despedida de Solteiro’ e ‘Porto dos Milagres’.

*Conteúdo “Extra Online”

 

Leia também



Multiservice - Fauston
Nilton e Célia
Top Móveis_Crato Janeiro 2020

Enquete

Você acha que motoristas alcoolizados devem ser considerados criminosos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...
© Copyright 2019 — Caririceara.com. Todos os direitos reservados
error: Conteúdo protegido!!