Agentes comunitários de saúde do Crato retornam a greve

Agentes comunitários de saúde do Crato retornam a greve FOTO_JOTA LOPES-AGÊNCIA CARIRICEARA.COM

Redação/Agência Caririceara.com
Foto: Arquivo

Em razão da falta de resposta por parte da gestão Zé Ailton Brasil, os servidores decidiram retomar a greve após uma trégua de 45 dias. A decisão foi tomada numa assembleia realizada nesta terça-feira, no auditório da Refesa.

De acordo com entrevista concedida na noite de ontem ao jornal “Mesa de Redação” da FM 105 do Crato, a presidente do sindicato dos servidores públicos do município do Crato, professora Denise Pinheiro a gestão não enviou uma proposta para a classe e com isso acabou gerando revolta entre os servidores.

A greve dos ACS é a maior greve da história do município do Crato no âmbito da saúde que já completou um ano e cinco meses. O momento vem se arrastando desde a gestão Ronaldo Sampaio Gomes de Matos. Os agentes cobram os incentivos federais que é de direito da classe, os EPIS e a estrutura de trabalho, uma vez que, não existe a mínima condição de desenvolvimento dos trabalhos junto as comunidades como informa os agentes de saúde.

Escute na integra a entrevista da presidente do SINDSCRATO professora Denise Pinheiro

Nota de Esclarecimento sobre a retomada da greve dos Agentes Comunitários de Saúde do Crato

Em atenção a retomada da greve dos Agentes Comunitários de Saúde, a Prefeitura do Crato, por meio do Secretário Municipal de Saúde, André Barreto vem a público fazer os seguintes esclarecimentos:

1 – Com o fim do prazo requerido pela secretaria de Saúde para analisar as finanças do Município e apresentar nova proposta à categoria, constatou-se que a disponibilidade dos recursos recebidos são, no momento, insuficientes para atender a reivindicação de gratificação salarial.

2 – Na última sexta-feira, 3, foi realizada reunião com a presença de representantes do sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, na qual a gestão prestou contas quanto ao recebimento de recursos dos meses de janeiro e fevereiro, bem como gastos realizados. Foi verificado que as despesas para o pagamento dos servidores já superam o que é recebido para tal fim. Tendo assim, sido necessária a retirada de recursos destinados à aquisição de material de trabalho e equipamentos para cumprir com pagamentos de servidores.

3 – Foi pedido um novo prazo de 60 dias para que novas estratégias fossem estudadas a fim de sanar a necessidade do município e dos Agentes Comunitários de Saúde. O pedido foi negado pela categoria que retomou a greve na terça-feira, 7.

4 – A Prefeitura Municipal do Crato tem mantido a transparência e o constante diálogo com a categoria e acredita que realizar greve é um direito legítimo do servidor. Entretanto, a gestão esclarece que seria um equívoco assumir, nesse momento, uma responsabilidade que vai além de suas possibilidades financeiras.

5- Mais probabilidades estão sendo analisadas para que a situação seja resolvida o mais rápido possível.

Leia também



PATOM

Enquete