Ceará notifica oito casos de microcefalia relacionados ao vírus Zika.

Os casos confirmados da doença, que prejudica o desenvolvimento do cérebro dos bebês, subiram de 41 para 48     Escola de Gente     Formação em acessibilidade prepara jovens para o mercado de trabalho     Projeto Agentes de Promoção da Acessibilidade já formou 220 jovens de comunidades pacificadas do Rio de Janeiro     Saúde     Estudantes apresentam em feira repelentes e inseticidas contra Aedes aegypt     Alunas da Escola Status Jardim Paulista, de Campo Grande (MS), desenvolveram óleo à base de folhas de pitangueira  1 2 3

O Ceará confirmou 48 casos de microcefalia até o último dia 10 de março. Desses, 8 estão relacionados ao vírus Zika. As informações são do boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

Os casos confirmados da doença, que prejudica o desenvolvimento do cérebro dos bebês, subiram de 41 para 48, entre o boletim do dia 7 de março e o divulgado na terça-feira (15). O documento anterior atestava apenas 1 caso confirmado de microcefalia causado pelo vírus Zika.

Ao todo, segundo o último boletim, o estado notificou 395 casos: 83 foram descartados e há 264 em investigação. Do total de casos confirmados, em 15 houve a morte de bebês. Os 8 casos relacionados ao Zika estão entre essas mortes. Há 13 óbitos sendo investigados.

As unidades de saúde do Ceará passaram a notificar casos de microcefalia em outubro de 2015. As análises laboratoriais são realizadas no Instituto Evandro Chagas, em Belém (PA).

Acompanhamento

Profissionais que atuam nas 19 policlínicas distribuídas nos municípios cearenses começaram a fazer cursos teóricos e práticos para passar a acompanhar crianças com microcefalia.

A capacitação faz parte de um convênio assinado na última segunda-feira (14) entre o governo do estado e o Núcleo de Tratamento e Estimulação Precoce (Nutep), vinculado à Universidade Federal do Ceará (UFC).

A partir da formação dos profissionais, serão criados, nas policlínicas Centros de Intervenção Precoce, equipes formadas por fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros e assistentes sociais. Antes, o atendimento estava centralizado em 4 hospitais de Fortaleza.

Sumaia Villela/Agência Brasil

Agência Brasil

Leia também



Multiservice - Fauston
Top Móveis_Crato Janeiro 2020

Enquete

Você acha que motoristas alcoolizados devem ser considerados criminosos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...
© Copyright 2019 — Caririceara.com. Todos os direitos reservados