Clube Sesc de Leitura proporciona momento único de interação entre autores e leitores

48614641981_0ff58c65e0_k

Vencedores do Prêmio Sesc de Literatura vão oferecer a seus leitores, nos dias 30/11 e 13/12, a oportunidade de encontrá-los em eventos abertos ao público

Um momento para discutir literatura frente a frente com os próprios autores. Essa é a proposta do Clube Sesc de Leitura, que traz ao público do Cariri o universo dos vencedores do Prêmio Sesc de Literatura de 2021, Fábio Fonseca de Castro e Diogo Rios Monteiro. Eles vão oferecer a seus leitores, nos dias 30/11 e 13/12, a oportunidade de encontrá-los, de forma virtual e presencial, em eventos abertos ao público a partir de 16 anos.

No encontro do dia 30 de novembro, que ocorre às 18h, pela plataforma Google Meet, o autor de “O Réptil Melancólico”, Fábio Fonseca de Castro, detalha suas aspirações e inspirações sobre a obra que lhe rendeu a premiação na categoria Romance. No mesmo horário, só que em 13 de dezembro, será a vez de Diogo Rios Monteiro esmiuçar seu “O que a Casa Criou”, vencedor na Conto, junto ao público que comparecer à Casa Ucá, no Crato.

 

‘Exílios opostos’ e realismo fantástico

“O Réptil Melancólico” é um romance que descreve uma realidade alternativa: e se o estado do Pará tivesse permanecido colônia portuguesa até a década de 1960? Quando a Ditadura Militar, após negociar com Portugal, toma o controle da colônia, alguns personagens são forçados a saírem de Belém e se exilarem. Em seu livro, Fábio Fonseca de Castro narra o retorno do protagonista Felipe a sua cidade após um longo período de exílio, levado por sua mãe, perseguida e torturada pelo regime militar brasileiro. Ao voltar, Felipe restabelece contato com a família paterna, especialmente com o primo Miguel, que, por sua vez, está partindo da cidade. Nesta história de repressão, retorno e fuga, os dois primos vivem exílios opostos.

Já na coletânea “O que a Casa Criou”, de Diogo Rios Monteiro, o realismo fantástico dá o tom e a peça central é o espanto. Todos os seus 16 contos, inclusive o que dá nome ao volume, tratam, de alguma forma, sobre a possibilidade de encontrar o inusitado a qualquer momento, seja na virada de uma esquina ou ao abrir uma porta. Desenvolvidas pelo autor ao longo dos últimos dez anos, as histórias evitam as “certezas cimentadas”, dialogando sobre a fragilidade do real e do nosso confortável conceito de realidade, num reflexo sobre como a quebra da normalidade age sobre pessoas, lugares e coisas.

 

Prêmio

Lançado pelo Sesc nacional em 2003, o Prêmio Sesc de Literatura reconhece escritores com obras inéditas, que possuam qualidade literária para edição e circulação nacional. Além de incluí-los em programações literárias do Sesc, o Prêmio também abre uma porta do mercado editorial aos estreantes, pois os livros vencedores são publicados e distribuídos pela editora Record. A ideia é, para além de oferecer uma chance aos novos escritores, contribuir para a renovação no panorama literário brasileiro.

 

Serviço:

Clube Sesc de Leitura

  • Bate-papo sobre a obra “O Réptil Melancólico”, de Fábio Fonseca de Castro

Data: 30/11

Horário: 18h

Onde: Plataforma Google Meet. Mais informações pelo e-mail rcbezerra@sesc-ce.com.br e pelo fone (88) 3586-9171

  • Bate-papo sobre o livro “O que a Casa Criou”, de Diogo Rios Monteiro 

Data: 13/12

Horário: 18h

Onde: Casa Ucá, no Crato

Leia também



PATOM

Enquete