CRATO: Padre que teve a ordem suspensa da Diocese emite nota de repúdio

Vista parcial do Crato-Foto Jota Lopes Agência Caririceara.com

João Vieira/Agência Caririceara.com
Colaboração do radialista Paulo Dimas

NOTA DE REPÚDIO À AÇÃO ARBITRÁRIA DO SR. BISPO DOM FERNANDO PANICO EM QUERER DESTITUIR DAS ORDENS SACERDOTAIS O SR PE. BOZANO LIMA GONÇALVES

Povo da Diocese do Crato, devotos da Mãe da Penha e do profeta Pe. Cícero Romão Batista, eu Pe. Bozano Lima Gonçalves venho publicamente repudiar perante a opinião pública a ação arbitrária e monocrática de D. Fernando e o Conselho Canônico, em querer me destituir das Ordens Sacerdotais sem o meu LIVRE E EXPONTÂNEO CONSENTIMENTO. Quero dizer que houve apenas uma única vez em que fui chamado pelo Sr. Pe. José Vicente para tratar de assuntos relacionados à minha saída da Diocese de Osasco em São Paulo, cujo encontro se daria no dia 13 de Outubro deste ano, mas por um atraso meu, de apenas dez minutos, já que estava indo para o Crato de moto, essa conversa não se efetivou, pois percebi que ele não quis mais me atender. Voltei ao meu trabalho e continuei minha lida. Inesperadamente sou surpreendido com a nota de rebaixamento sacerdotal, amplamente publicada no dia 16 do corrente mês, nos veículos de comunicação do cariri. Quero que os senhores e senhoras saibam que não há nenhuma assinatura minha pedindo afastamento do estado clerical nos registros da cúria. Se quiserem podem consultar todos os livros e atas canônicos arquivados na diocese. Lá não encontrarão minha assinatura.

Estou afastado dos serviços ministeriais já faz quatro anos e a qualquer momento sou livre para manifestar o meu afastamento. O motivo do meu afastamento foi uma denúncia infame e caluniosa contra minha pessoa. Acusaram-me de ter infligido o sexto mandamento. Sem provas e sem prudência afastaram-me da igreja. Graças a Deus e a justiça comum fui inocentado e totalmente absolvido das acusações. Passei três anos fazendo tratamento psicológico. Durante esse período não recebi nenhuma visita clerical. Mas fui acolhido e sempre amado pela família. Hoje estou ótimo, muitíssimo feliz com a consciência em paz. Trabalho dignamente, pago os meus compromissos. O senhor Deus me concedeu muitas e infinitas graças através do exercício sacerdotal. Vi e presenciei inúmeras conversas e curas através do sacramento da unção. A Igreja para mim é uma grande família em torno da mesa do pão partido com as mãos, expressão máxima de afeto e bem querer uns aos outros. Não deixemos, povo desta Diocese, que a Igreja perca sua dimensão mais nobre: a ação profética, a justiça e o anúncio de Jesus Cristo Vivo. Infelizmente a ação do Sr. bispo mostrou uma igreja que se parece um ajuntamento político. Quero também manifestar minha indignação, pois os padres que foram citados para o rebaixamento clerical não receberam nenhum agradecimento pelos serviços prestados à Diocese e ao povo de Deus. Friamente se tornam e serão esquecidos nas entranhas frias da história da igreja. Deixo aqui o meu protesto e quero de todo o meu coração que cada família tenha um Natal estupendo de fartura, paz e alegria, no colo de Maria.

Esta carta será autenticada e registrada em Cartório de Ofício.
Obrigado a todos pela atenção.

Assina:
Pe. Bozano Lima Gonçalves

Leia também

Uma resposta

Os comentários estão desabilitados.



PATOM
WhatsApp Image 2022-06-20 at 16.09.29

Enquete