Em Quixadá, MPCE verifica fornecimento e qualidade de alimentação servida a alunos de escola pública profissionalizante

WhatsApp-Image-2022-05-13-at-17.44.13 - Em Quixadá, MPCE verifica fornecimento e qualidade de alimentação servida a alunos de escola pública profissionalizante

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Quixadá, visitou, nesta sexta-feira (13/05), as dependências da Escola de Ensino Profissionalizante Maria Cavalcante Costa, para verificar o fornecimento e qualidade da alimentação servida aos alunos. A inspeção foi realizada pela promotora de Justiça Cibelle Nunes de Carvalho Moreira, titular da 3ª Promotoria de Justiça de Quixadá.

Na unidade de ensino, a promotora foi recepcionada pelo diretor da Escola, Francisco Carlos de Oliveira. A visita aconteceu porque, no dia 17 de março deste ano, a Promotoria de Justiça recebeu denúncias e imagens de alimentos supostamente impróprios para consumo humano sendo servidos aos estudantes. A situação foi amplamente divulgada nas redes sociais e repercutiu sobremaneira em Quixadá. A instituição de ensino conta, atualmente, com 477 alunos e 52 funcionários.

Ante as denúncias, foi instaurado Procedimento Administrativo para averiguar e acompanhar o caso. O diretor da unidade de ensino, Francisco Carlos de Oliveira, notificado para prestar esclarecimentos, informou que havia ocorrido um problema junto à empresa fornecedora de alimentos.

Durante a visita, o MPCE constatou que a alimentação servida nesta sexta-feira estava regular. Também foi verificado que os insumos estavam dentro da data de validade indicada nos rótulos, a exemplo da carne, frango e polpas de frutas. A nutricionista da escola também forneceu informações ao MP sobre a qualidade dos alimentos. Sobre o problema anterior, o diretor da escola informou que alguns funcionários da empresa fornecedora, responsáveis pela preparação dos alimentos na escola, foram substituídos. Ante a situação, o MPCE deverá notificar a empresa, para que esta seja responsabilizada por supostamente servir alimentação de forma inadequada aos alunos.

*Fonte: MPCE

Leia também



PATOM

Enquete