Marília Mendonça cantou sofrência empoderada com voz forte e letras intensas; relembre carreira

FOTO: DIVULGAÇÃO

Cantora morreu, aos 26 anos, em acidente aéreo nesta sexta-feira (5). Ela ganhou o título de ‘Rainha da sofrência’ logo após sucesso de álbum de estreia em 2016.

As músicas de Marília Mendonça arrebataram o Brasil com letras e melodias intensas e românticas. A cantora morreu, aos 26 anos, nesta sexta (5), em um acidente aéreo em Minas Gerais.

Considerada uma das artistas mais populares do sertanejo, ela liderou uma reviravolta feminina no gênero, que impôs mulheres como protagonistas do estilo até então dominado quase apenas por homens, a partir de 2016, no chamado feminejo.

“Infiel”, “Como Faz com Ela” e “Alô Porteiro” são hits do álbum de estreia, que logo catapultou Marília ao sucesso nacional e ao título de “Rainha da Sofrência”.

Ela deixa um filho, Léo, que completa dois anos em dezembro.

O último álbum que a cantora lançou foi “Patroas 35%”, em parceria com a dupla Maiara e Maraisa. O trio comemorava a indicação ao Grammy Latino deste ano.

Elas chegaram a lançar o clipe de “Fã Clube” nesta sexta (5), inclusive Marília fez vídeos divulgando a música antes de embarcar para Minas Gerais.

Compositora desde criança

Marília Dias Mendonça nasceu em Cristianópolis (GO) em 22 de julho de 1995. Ela vendeu, aos 16 anos, sua primeira composição, “Minha Herança”, para a dupla João Neto e Frederico. Foi com essa música escrita aos 12 anos que Marília começou a chamar atenção na cena sertaneja.

Ela entrou para a Workshow, um dos maiores escritórios de sertanejo do país, como compositora e conseguiu emplacar músicas que foram gravadas por Henrique e Juliano, Jorge e Mateus e Cristiano Araújo.

O primeiro EP como cantora foi lançado em 2014 e já tinha músicas como “Alô Porteiro” e “Sentimento Louco”.

Mas foi com o álbum de estreia, “Marília Mendonça”, de 2016, que a cantora conseguiu projeção nacional com a canção “Infiel” e ganhou o título de “Rainha da Sofrência”.

O feminejo foi a tendência mais forte na música pop brasileira a partir daquele ano e isso se refletiu nas paradas de sucesso. Tanto que o clipe da música sobre traição bateu mais 1 bilhão de visualizações.

“Folgado”, “Saudade do Meu Ex” e “Eu sei de Cor” são outras faixas do álbum que rapidamente viraram hits também.

Em entrevista ao g1 naquele ano, Marília explicou o sucesso do feminejo, com letras empoderadas sob a ótica da mulher. “A mulher parou de cantar o que o homem quer ouvir e passou a cantar o que a mulher gosta de ouvir. Antes, as mulheres tinham que ouvir a música voltada para o homem”, afirmou, em 2016.

“Mas mulher também trai, bebe, não aguenta homem folgado. Às vezes, pode ser até os mesmos assuntos, mas com uma abordagem diferente, mais feminina”.

Na escalada do sucesso, Marília lançou o DVD “Realidade”, gravado em Manaus, com outros sucessos como “Amante não tem lar”, “Eu Sei de Cor” e “De Quem é a Culpa”, em 2017.

A parceria de longa data com Maiara & Maraisa, cantoras que são amigas antigas de Marília, foi registrada em álbum pela primeira vez no “Agora É que são elas”, de 2016. Dois anos depois, elas lançaram um segundo volume.

O maior projeto da carreira de Marília foi o “Todos os Cantos”, quando a cantora excursionou pelo Brasil e gravou uma música em cada capital.

Ela aparecia de surpresa na cidade e fazia apresentações de graça em praças públicas. Desse álbum saíram sucessos como: “Ciumeira”, “Todo Mundo vai Sofrer”, “Apaixonadinha”, “Supera” e “Graveto”.

No final de 2019, Marília fez uma pausa na carreira no sétimo mês da gravidez do filho Léo, fruto do relacionamento com o sertanejo Murilo Huff.

Eles tiveram um namoro de idas e vindas, mas não estavam juntos desde setembro. Léo estava com o pai na hora do acidente.

“Estou dando uma pausa no meu AUGE, literalmente. O auge do meu amor, o auge da minha vida, o auge da minha felicidade, o auge do meu crescimento como mulher, o auge do meu amadurecimento. Pensou que eu tava falando de SUCESSO, né? Acertou. Como eu não seria bem-sucedida tendo em meu ventre o meu grande amor, que eu já escuto os sinais de chegada? Enfim, com lágrimas nos olhos, anuncio que, oficialmente, pausei a minha vida pra esperar a minha vida”, escreveu Marília, no Instagram, quando anunciou a pausa na carreira em 2019.

Depois que voltou aos palcos, Marília estava tocando o projeto “Patroas”, com a dupla Maiara e Maraisa.

Elas lançaram um álbum homônimo em 2020 e o “Patroas 35%”, em setembro deste ano. A turnê foi anunciada com um grande evento em outubro e já tinha ingressos à venda.

Figura querida no mundo da música, Marília gravou com artistas como inúmeros artistas e de diversos gêneros, como Anitta, Gal Costa, Henrique & Juliano, Leo Santana, Luísa Sonza, Tierry e o grupo de pagode Menos é Mais.

Na pandemia, a cantora fez a live mais vista do mundo com 3,31 milhões de visualizações. Com esse número, superou transmissões do BTS, de Andrea Bocelli e de Jorge & Mateus.

Marília estava retomando a agenda de apresentações após mais de um ano e meio sem ver o público. O último show foi na segunda-feira (1º), em Sorocaba (SP).

Horas antes do avião cair, ela gravou vídeos em que estava feliz indo para os shows do final de semana em Minas Gerais.

Principais sucessos

  • Infiel
  • “Como faz com ela”
  • “Folgado”
  • “Eu sei de cor”
  • “Amante não tem lar”
  • “Saudade do meu Ex”
  • “De quem é a culpa?”
  • “Ciumeira”
  • “Bem Pior que eu”
  • “Bebi liguei”
  • “Todo Mundo Menos Você”

LEIA MAIS:

A cantora Marília Mendonça, de 26 anos, e mais quatro pessoas morreram na tarde desta sexta-feira (5) após a queda de um avião de pequeno porte perto de uma cachoeira na serra de Caratinga, interior de Minas Gerais.

Marília Mendonça — Foto: Divulgação

“Com imenso pesar, confirmamos a morte da cantora Marília Mendonça, seu produtor Henrique Ribeiro, seu tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, do piloto e copiloto do avião, os quais iremos preservar os nomes neste momento. O avião decolou de Goiânia com destino a Caratinga/MG, onde Marília teria uma apresentação esta noite. De momento, são estas as informações que temos.”, informou em nota a assessoria da cantora.

Os bombeiros também confirmaram a morte através da seguinte nota: “O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais informa que nesta sexta (5), ocorreu a queda de uma aeronave de pequeno porte, modelo Beech Aircraft, na zona rural de Piedade de Caratinga. O CBMMG confirma que a aeronave transportava a cantora Marília Mendonça e que ela está entre as vítimas fatais.”

Avião de pequeno porte caiu em uma cachoeira na zona rural de Piedade de Caratinga — Foto: Redes Sociais

A cantora nasceu em Cristianópolis (GO) em 22 de julho de 1995. Ela surgiu como ícone do “feminejo” em 2016, com sucessos como “Infiel” e “Eu sei de cor”. Antes, ela já era compositora de sucessos do sertanejo.

A aeronave era um bimotor Beech Aircraft, da PEC Táxi Aéreo, de Goiás, prefixo PT-ONJ, com capacidade para seis passageiros. Segundo a Anac, o avião está em situação regular e tem autorização para fazer táxi aéreo.

Antes de embarcar fez um vídeo em que aparecia entrando no avião e publicou no Twitter.

A Polícia Civil de Minas Gerais também confirmou a morte em uma nota: “Assim que acionada, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) deslocou equipes da perícia criminal, de investigadores e delegados ao local dos fatos, onde realizam os primeiros levantamentos. A PCMG identificou cinco corpos no avião, sendo três óbitos incluindo o da cantora. Um dos corpos já está sendo encaminhado para Caratinga, onde legista e auxiliar de necropsia aguardam para realização de exames. Os trabalhos de polícia judiciária estão em andamento e a medida que avançarem repassaremos mais informações.”

Informações da assessoria de imprensa
Por volta das 16h30, o g1 procurou a assessora de imprensa de Marília Mendonça, que confirmou o acidente mas informou que a cantora e todos que estavam no avião já teriam sido resgatados e que estavam bem.

O Corpo de Bombeiros não confirmou a informação da assessoria de que todos haviam sido resgatados. Por volta das 16h50, o g1 voltou a procurar a assessoria de imprensa, que reafirmou a informação de que todos tinham sido resgatados e estavam bem.

Por volta das 17h15, o g1 voltou a procurar a assessora da cantora. Neste momento, ela disse que não estava mais conseguindo falar com o empresário da cantora que havia passado as informações iniciais. Às 17h45, a assessoria informou em nota oficial que a cantora havia morrido.

*Conteúdo G1 

Leia também



Multiservice - Fauston
Top Móveis_Crato Janeiro 2020

Enquete

Você acha que motoristas alcoolizados devem ser considerados criminosos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...
© Copyright 2019 — Caririceara.com. Todos os direitos reservados