Menina Benigna: 18º edição da romaria será marcada pela distribuição de relíquias de 3º grau da mártir

Em sua 18º edição, a romaria começou na última sexta-feira, 15, em homenagem à Benigna Cardoso da Silva, e se encerra no domingo, 24(foto: Fábio Lima)

Tecido que envolveu os restos mortais da Menina Benigna, correspondendo às relíquias de terceiro grau, será distribuído aos interessados que solicitarem e comparecerem à solenidade na quinta-feira, 21

Em sua 18º edição com o tema “Com Benigna em romaria: rumo à graça da beatificação”, a romaria em homenagem à Benigna Cardoso da Silva começou na última sexta-feira, 15, no município de Santana do Cariri. A peregrinação tem acontecido em formato híbrido, seguindo até domingo, 24, de forma a comemorar os 80 anos do martírio da adolescente, que foi morta aos 13 anos, em 24 de outubro de 1941, vítima de feminicídio. Relíquias de terceiro grau serão distribuídas durante a Santa Missa na Igreja Matriz de Sra. Sant’Ana, às 19 horas desta quinta-feira, 21, em Santana do Cariri.

Em entrevista à rádio CBN Cariri nessa segunda-feira, 18, padre Paulo Lemos, que atua como pároco de Santana do Cariri, explicou ao repórter Farias Júnior que as relíquias de terceiro grau correspondem ao tecido que envolveu os restos mortais da menina, adquirido durante o processo de limpezas dos ossos da mártir em janeiro deste ano.

“A relíquia de terceiro grau é mais simples e pode ser dada ao povo de maneira geral. Vai ser distribuída na missa do dia 21, que é a data do batismo de Benigna, onde será realizada uma solenidade de bênçãos. Serão apresentados os relicários que serão utilizados na beatificação, sem expor as relíquias de primeiro grau, que consistem nos ossos de Benigna, que não podem ser distribuídos aleatoriamente. As de terceiro grau serão distribuídas para todo o povo”, explica o padre.

Considerada como um símbolo de veneração, a distribuição de relíquias é autorizada pela Igreja Católica devido à história de vida e de serviço a Deus a quem se refere. Durante o processo de distribuição, padre Paulo esclarece que serão formadas filas para garantir mais organização. Ainda, o ato se dará de forma gratuita para todos os interessados que solicitarem e comparecerem à solenidade, onde também será realizada a sessão de lacracão do relicário oficial que será utilizado na cerimônia de beatificação.

“Quem desejar, deve se dirigir à paróquia onde serão distribuídas as relíquias. Elas não serão cobradas, apenas quem mora fora que deve pagar pelas despesas postais. É uma maneira de a gente incentivar a piedade das pessoas ao terem algo que tocou o corpo e os ossos de Benigna, além de relembrar e saber que ela está conosco espiritualmente”, pontua o pároco.

Relíquias de primero grau consistem em parte dos ossos ou do corpo, enquanto as de segundo grau correspondem a objetos de uso pessoal, como roupas, crucifixos, terços etc. As relíquias de terceiro grau distribuídas nesta edição da romaria estão sendo preparadas pelo padre Tiago Henrique, embaixador das relíquias de São Miguel Arcanjo, do santuário de São Miguel, na Itália.

Padre Paulo explica que a entrega de relíquias tem toda uma fundamentação bíblica, quando em Atos do Apóstolos é possível encontrar registros de que lenços que haviam tocado os apóstulos erão distribuídos às pessoas a fim de serem utilizados nas feridas de doentes. As relíquias, assim, fazem memória à pessoa que viveu de forma santa sua vida aqui na Terra.

Para os fiéis que não puderem comparecer à romaria, optando pelo modo remoto, o evento tem sido transmitido por meio do canal no YouTube da Paróquia Senhora Sant’Ana.

“Heroína da Castidade”

Benigna Cardoso da Silva foi assassinada de forma brutal no dia 24 de outubro de 1941, quando tinha apenas 13 anos de idade. O responsável por sua morte foi Raimundo Alves Ribeiro, conhecido como Raul. Na ocasião do crime, o agressor emboscou a jovem enquanto ela ia buscar água no poço e a esfaqueou com golpes de facão.

A motivação da fúria do criminoso teria sido o fato de Benigna ter se recusado a manter relações íntimas e amorosas com ele. O crime chocou os moradores de Inhumas, distrito em que a menina morava, situado no município de Santana do Cariri. Os golpes atingiram a mão direita da menina, os rins, a testa e o pescoço, quase a degolando.

Religiosa e temente a Deus, a “Menina Benigna”, como ficou conhecida, passou a ser vista como “Heroína da Castidade” na região, uma vez que moradores associaram sua morte diretamente à recusa sexual. Mesmo ainda não sendo oficialmente reconhecida como Santa, os fiéis de Santana do Cariri até hoje a tratam dessa forma, a ponto de rezarem pela sua intercessão e a visitarem seu túmulo.

*Conteúdo “O Povo Online”

Leia também



Multiservice - Fauston
Top Móveis_Crato Janeiro 2020

Enquete

Você acha que motoristas alcoolizados devem ser considerados criminosos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...
© Copyright 2019 — Caririceara.com. Todos os direitos reservados