Monitor aponta seca mais branda no Ceará

FOTO: ADRIANO DUARTE/ARQUIVO/AGÊNCIA CARIRICEARA.COM
FOTO: ADRIANO DUARTE/ARQUIVO/AGÊNCIA CARIRICEARA.COM

Entre novembro e dezembro de 2021, em termos de severidade da seca, o Ceará teve um abrandamento do fenômeno, segundo o Monitor de Secas. Considerando as quatro regiões integralmente acompanhadas pelo Monitor, a maior severidade observada em dezembro aconteceu no Sudeste, que registrou 8% de seca excepcional – a mais severa da escala do Monitor. Já o Nordeste teve a menor severidade do mês e foi a única região a não ter registro de seca extrema ou seca excepcional no período.

Ainda segundo o relatório do Monitor de Secas seis estados registraram seca em 100% do território no último mês: Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe. O Distrito Federal aparece como única unidade da Federação livre do fenômeno e os demais 14 estados acompanhados pelo Monitor apresentam entre 10,7% e 97,9% de suas áreas com seca.

Em decorrência de chuvas muito acima da média em dezembro, houve uma significativa diminuição da seca no Nordeste, especialmente com o recuo das secas fraca e moderada em grande parte da Bahia, Maranhão e Piauí. Outro destaque foi a atenuação do fenômeno no sudeste do Piauí, norte de Sergipe e sudoeste de Alagoas; onde a seca passou de grave para moderada.

Monitor de Secas

O Monitor realiza o acompanhamento contínuo do grau de severidade das secas no Brasil com base em indicadores do fenômeno e nos impactos causados em curto e/ou longo prazo. Os impactos de curto prazo são para déficits de precipitações recentes até seis meses. Acima desse período, os impactos são de longo prazo. Essa ferramenta vem sendo utilizada para auxiliar a execução de políticas públicas de combate à seca.

O projeto tem como principal produto o Mapa do Monitor, construído mensalmente a partir da colaboração dos estados integrantes e de uma rede de instituições parceiras que assumem diferentes papéis na rotina de sua elaboração. No Estado do Ceará, a Secretaria dos Recursos Hídricos, através da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), colabora com informações.

A metodologia do Monitor de Secas foi baseada no modelo de acompanhamento de secas dos Estados Unidos e do México. O cronograma de atividades inclui as fases de coleta de dados, cálculo dos indicadores de seca, traçado dos rascunhos do Mapa pela equipe de autoria, validação dos estados envolvidos e divulgação da versão final do Mapa do Monitor, que indica a ausência do fenômeno ou uma seca relativa, significando que as categorias de seca em uma determinada área são estabelecidas em relação ao próprio histórico da região.

*Governo do Ceará

Leia também



PATOM
WhatsApp Image 2022-07-28 at 08.57.10

Enquete