Moradores do Conjunto MCMV reclamam das situações que envolvem o programa


DA AGÊNCIA CARIRICEARA
Adriano Duarte com reportagem de Ed Alencar – Foto: Jota Lopes

A população mais carente que necessitam do apoio do governo para adquirir a sua casa própria têm sofrido com o programa ‘Minha Casa – Minha Vida’.

Tem sido uma verdadeira peregrinação até conseguir entrar na residência e quando consegue são inúmera falhas de projetos e problemas enfrentados pelos mutuários.

A moradora do Conjunto São Sebastião, em Juazeiro do Norte, Cícera Maria, relata que desde problema com o saneamento até problemas com a iluminação, de tudo tem um bocado…“É um absurdo só vendo ver para acreditar no que a gente fala porque é muito esgoto já estourado, sem se falar que é um absurdo que cobram da gente porque aqui estão cobrando água taxa de água e luz, um absurdo tão cobrando taxa de iluminação pública, coisas que a gente não tem. A nossa praça é as escuras, a entrada do conjunto é às escuras algumas ruas aqui acende dois outros postes, os resto não acende. É um absurdo o que a gente tá pagando de taxa de iluminação pública em nossa energia. A gente já tentou fazer um abaixo-assinado,  correr atrás da Coelce da Cagece e não resolve nossos problemas ficam empurrando a gente para caixa  da pra Constantine que nem sequer trabalha  mais com Minha Casa Minha Vida. A construtora abriu falência para não ter que cumprir com seus compromissos”.

Ela questiona o modo como a construção foi desenvolvida e lamenta que depois de tanta espera, os moradores tenham que enfrentar mais esse tipo de problema… “O saneamento aqui é péssimo. Teve uma rua aqui que afundou a semana passada quando o ônibus foi passa. Se formou uma cratera enorme aqui no Conjunto. No mesmo dia  tentaram resolver o problema, mas só com material de segunda, trabalho muito mal feito e eles ficam querendo alegar ser culpar da  pressa dos mutuários para receberem as casas que foram entregues com quase dois anos de atraso. Porque não resolvem isso logo? E quanto ao saneamento não se começa é pelo alicerce?  ou eles primeiro construíram as casas para poder tentar fazer o saneamento? Entende como não tem lógica o que eles falam”.

No final da semana passada, em Crato, o prefeito Zé Ailton Brasil e o secretário adjunto da Casa Civil, Fernando Santana, tentaram contornar uma manifestação que os contemplados com o programa na cidade realizaram.

Em entrevista ao repórter Ed Alencar, a Senhora Rafaela Araújo conta que a população está desacreditada das promessas…“Hoje o povo está desacreditado na conversa deles. Cada tempo que passa, cada mês que se passa eles dão mais 30 dias para frente e nada de acontecer. E isso são 982 famílias que estão aguardando essas casas ficarem prontas.  A SAAEC Prometeu  entregar o conjunto habitável para gente há 20 dias atrás, alegando que na data estaria pronta a questão de rede de esgoto e tratamento de esgoto e o abastecimento de água, e hoje a gente tem a resposta de que os serviços ainda não estão completos,  e ainda também tem algumas casas para serem prontas mais ou menos umas 200 casos ainda falta ser concluída”.

Rafaela revela ainda que os trabalhos não andam e que os trabalhadores da nova construtora estão sem receber salários… “A Caixa Econômica pediu ajuda do governo  como todos já sabem que se propôs a ajudar  liberando um dinheiro que está na conta, mas que precisa ter um aditivo, instrumento esse que foi recusado pela Caixa na primeira em vez que foi assinado, depois eles disseram que para liberar o dinheiro tinha que ser oficializado no Diário  oficial  para que esse dinheiro seja liberado para pagar os trabalhadores. Já os prestadores de serviço da nova empresa   começaram a trabalhar, deram a credibilidade trabalhando por 30 dias e não receberam o pagamento deles, então hoje eles se encontram parado”.

O secretário, Fernando Santana tentou justificar a situação e explicou que a responsabilidade é da empresa responsável… “Como Agimos aqui hoje eu vim aqui acompanhando o prefeito Zé Ailton Brasil, para conversar com as famílias e também conversar com representante da Caixa Econômica Federal que é o André que ele está aqui. O governador fez mais um aporte financeiro para Caixa Econômica que mais de um milhão e R$ 9 mil reais para ajudar a terminar aqui as casas, foi um problema lá atrás com a primeira Construtora que deu. Em fim, mas é uma burocracia tremenda. Nós estamos aqui de mãos dadas com esses moradores, nós não viemos aqui para a política, nós viemos aqui como pessoas representantes dos governos estadual e municipal para dá as mãos essas famílias de ajudar para que as escolhas sejam entregues no tempo hábil”.

Leia também



Multiservice - Fauston
Top Móveis_Crato Janeiro 2020

Enquete

Qual sua avaliação das ações do governo do presidente Jair Bolsonaro?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...
© Copyright 2019 — Caririceara.com. Todos os direitos reservados