Mourão diz que não há espaço para reajuste salarial de servidores

Servidores públicos federais de 46 categorias ameaçam greve caso o Ministério da Economia não conceda reajuste a todos

O vice-presidente, Hamilton Mourão, disse nesta terça-feira (18) que não há espaço no Orçamento para conceder aumento salarial aos servidores públicos. Segundo ele, o presidente Jair Bolsonaro ainda não se decidiu sobre os reajustes dos agentes da segurança e saúde.

“Não tem espaço no Orçamento pra isso [reajuste salarial a todos os servidores públicos federais], não sei nem se o presidente vai conceder isso ai [para servidores da segurança e saúde], vamos aguardar e esperar o presidente bater o martelo, mas o espaço orçamentário é muito pequeno”, comentou Mourão.

No fim do ano passado, o governo reservou R$ 1,7 bilhão para contemplar reajuste salarial apenas para policiais federais, policiais rodoviários federais e agentes penitenciários, o que causou insatisfação generalizada de servidores de outras categorias

Nesta terça-feira (18), servidores públicos federais de 46 categorias organizam uma mobilização com indicativo de greve caso o Ministério da Economia não inclua todos na previsão de reajuste salarial em 2022.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou em 8 de janeiro que o reajuste prometido no fim de 2021 aos servidores públicos não está garantido. Ele havia prometido reajuste a todos os servidores neste ano em que disputa a reeleição. “Reajuste seria de 3%, 4%, 5%, 2%, que seja de 1%”, disse o presidente, em dezembro. “Servidor, em grande parte, merece isso”, completou.

No entanto, em meio à adesão em massa dos servidores públicos federais ao movimento de operação-padrão e entrega de cargos comissionados no governo com ameaças de greve, Bolsonaro pediu “sensibilidade” ao funcionalismo e reafirmou que não há espaço no Orçamento.

*Conteúdo “R7”

Leia também



WhatsApp Image 2022-05-24 at 16.20.44

Enquete