MPF apura irregularidades na distribuição de vacinas contra a covid-19 no Ceará

No estado, pessoas que não estão em lista de prioridade estariam sendo imunizadas. Foto ilustrativa: Freepik

O Ministério Público Federal (MPF) vai investigar irregularidades na distribuição de vacinas contra a covid-19 em municípios do Ceará. A oferta de imunizantes para pessoas que não estão incluídas entre as categorias prioritárias pode ser enquadrada como crime e improbidade administrativa.

Nesta sexta-feira (22), o MPF instaurou procedimento para apurar se as doses do primeiro lote de vacinas que chegaram ao estado estariam sendo aplicadas sem respeito à lista de prioridades definidas pelas autoridades de saúde no país. As informações sobre possíveis irregularidades foram publicadas pela imprensa e apontam prováveis ilícitos cometidos nas cidades de Eusébio e Aquiraz, ambas localizadas na Região Metropolitana de Fortaleza.

Nas duas cidades, de acordo com as matérias jornalísticas, até mesmo gestores públicos, incluindo prefeitos, estariam furando a fila da imunização. Nessa primeira fase de vacinação, o público-alvo é formado apenas por profissionais de saúde com atuação direta no enfrentamento à covid-19, pessoas com mais de 75 anos, idosos com mais de 60 que vivem em instituições de longa permanência e indígenas.

*Ministério Público Federal no Ceará

Leia também



Multiservice - Fauston
Top Móveis_Crato Janeiro 2020

Enquete

Qual sua avaliação das ações do governo do presidente Jair Bolsonaro?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...
© Copyright 2019 — Caririceara.com. Todos os direitos reservados