Obra do artista Marcus Jussier que retrata Padre Cícero passa por restauração no Memorial

Obra do artista Marcus Jussier que retrata Padre Cícero passa por restauração no Memorial

Uma obra produzida no ano de 1988 pelo artista plástico juazeirense Marcus Jussier que retrata o Padre Cícero e que foi doada pela ocasião da inauguração do Memorial Padre Cícero está passando por um processo de restauração.

O trabalho está sendo realizado pelo restaurador Renier Cintra, formado pela faculdade de Conservação e Restauração de Havana (Cuba), especialista em técnicas de restauro e em arqueologia social inclusiva.

A obra que, emoldurada, mede cerca 207 cm de altura por 142 cm de largura, foi danificada há alguns quando foi retirada de dentro do museu para ser utilizada em uma procissão, ocasionando um rasgão de cerca de 13,5 cm.

De acordo com a Presidente da Fundação Memorial Padre Cícero, Cristina Holanda, os recursos utilizados na restauração fazem parte do prêmio recebido pela Fundação Memorial Padre Cícero pelo IBRAM e que estão sendo usados na reforma do museu da instituição. “Aproveitamos a ocasião da reforma e reinauguração do museu e a implantação da nova expografia com um profissional especializado nesse tipo de trabalho”, destaca Cristina Holanda.

Cuidados com objetos do Museu

Cristina Holanda comenta que o ocorrido com a obra de Marcus Jussier serve de exemplo para que situações como essa não voltem a acontecer. “O que ocorreu com essa obra no passado, demonstra claramente que os objetos não podem sair dos museus. Caso haja essa necessidade, que sejam aplicados os devidos cuidados, como embalagens e a emissão de um laudo técnico para que se evite esse tipo de avaria, que saem caros para os cofres públicos”, ressalta a Presidente da Fundação Memorial Padre Cícero.

Quadros precisam de manutenção

O Memorial Padre Cícero também tem a guarda de 10 quadros, do artista Marcus Jussier, que contam a trajetória do Padre Cícero na cidade de Juazeiro do Norte em uma espécie de linha do tempo. Durante a remoção do material para a reforma, notou-se que os chassis que sustentam a pintura apresentam cupins. “A tela está em excelente condição, mas vamos ter que colocar novos chassis. Felizmente, a pintura não está comprometida”, comenta Cristina Holanda.

Ainda segundo Cristina Holanda, a troca dos chassis por uma madeira de melhor qualidade, o pau d’arco, permitirá a conservação das obras muitos anos. “Estamos felizes por fazer esse trabalho e garantir a preservação dessas obras tão importantes que conta, além da história do Padre Cícero, a trajetória de um artista plástico de Juazeiro do Norte que teve uma carreira brilhante nas artes plásticas e pouca gente conhece”, conclui Cristina Holanda.

Leia também



PATOM

Enquete