Observatório da Violência e dos Direitos Humanos da URCA realiza primeira assembleia

O Observatório da Violência e dos Direitos Humanos, da Universidade Regional do Cariri (URCA), realizou a I Assembleia do Observatório no último dia 9 de março, para ouvir as mais diversas instituições e representes de entidades sociais, órgãos ligados à segurança pública e aos direitos humanos, formas de parcerias e propostas de atuação para o combate à violência, além da coleta de dados para a realização dos trabalhos e análises no âmbito do ensino, da pesquisa e extensão universitária.
 
O projeto foi criado em outubro do ano passado, com lançamento realizado pelo Reitor da URCA, Professor Patrício Melo, com a parceria da Secretaria de Justiça do

images/stories/observatrio - assembleia 1.jpg

 Estado do Ceará, para que os dados no âmbito da violência contra mulheres, jovens e população em geral sejam compartilhados com o observatório, e sejam trabalhados junto à equipe multidisciplinar, formada por professores da URCA e estagiários, que estarão atuando diretamente no monitoramento desses números.
Os trabalhos tiveram o direcionamento da equipe de coordenação do Observatório, que contou em sua abertura com a presença do Reitor em Exercício, Professor Lima Júnior. Ele destacou a importância da formação humanitária, proporcionada por ações desenvolvidas por meio do Observatório, além de ressaltar o desenvolvimento e o papel social da URCA. Ainda abordou o papel da Universidade com as práticas institucionais e contra a violência, e as possibilidades de parcerias para o fortalecimento dessas ações.
 
Já o Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa, Professor Allyson Pinheiro, disse que esse é um trabalho importante em prol do combate à violência, além de ter dados que serão tratados de forma sistemática, para o entendimento do processo. 
 
Para uma das coordenadoras do Observatório, a Professora Grayce Alencar, é importante que o Observatório venha sistematizar ações para atacar a problemática e fazer com que essa realidade da violência no Cariri seja combatida. “É uma forma de garantir os direitos das populações mais vulneráveis”, diz ela. Durante a I assembleia, o Observatório divulgou o primeiro levantamento realizado sobre o número de assassinatos de mulheres no Cariri, de janeiro de 2005 a janeiro de 2015, chegando a 186 mortes em uma década, sendo que a grande maioria das mortes foi ocasionada pelo próprio companheiro da vítima.
A condução da programação, com a apresentação do Observatório, foi realizada pela coordenadora Lourdes Góes. 
 
Rede de Enfrentamento contra o tráfico de pessoas será fortalecido no Cariri
 
Com a finalidade de articular a primeira Rede de Enfrentamento contra o Tráfico de seres humanos, foi ministrada a I Oficina sobre Tráfico de Pessoas, no Cariri, com a Facilitadora Ana Christina Carneiro, do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas – NETP/ Secretaria de Justiça e Cidadania (SEJUS) do Governo do Estado do Ceará. 
 
Como um serviço que já vem sendo realizado para a população, segundo ela, a meta é fortalecer a rede no Cariri, com a temática a ser trabalhada junto à Universidade e buscando criar uma rede, em função do fluxo de pessoas que já acontece na região, exemplo disso ocorre durante as romarias. O intuito do Núcleo é trabalhar principalmente a prevenção. 
 
 

Universidade Regional do Cariri  (URCA)

Núcleo de Comunicação

Telefones: (88) 3102-1213 – 9 – 8812.5525 ramal 2617

www.urca.br – Crato, 14 de março de 2016.

 

 

Leia também



Multiservice - Fauston
Top Móveis_Crato Janeiro 2020

Enquete

Você acha que motoristas alcoolizados devem ser considerados criminosos?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...
© Copyright 2019 — Caririceara.com. Todos os direitos reservados