Osteopatia: a terapia incluída no SUS que usa só técnicas manuais para tratar dores

osteopatia

O tratamento complementar não faz uso de nenhum tipo de medicamento Foto: Divulgação/ Natural Global Osteopathy

Extra Online

O Ministério da Saúde incluiu 14 novas terapias alternativas ao Sistema Único de Saúde (SUS). Entre elas, a osteopatia, prática oferecida em dois centros municipais do Estado do Rio (veja abaixo). Sem o uso de remédios e utilizando técnicas manuais, visa estabelecer o equilíbrio das estruturas e sistemas corporais. O método age no tratamento de dores nas costas, alterações posturais, entre outras.

— É uma abordagem holística. Trata músculos, articulações, tecidos, sistema circulatório. Vamos em busca da causa do mau funcionamento de uma estrutura até melhorar o sintoma. Todas as partes do corpo funcionam de forma integrada — observa a osteopata Letizia Maddaluno.

A osteopatia trabalha em conjunto com outras áreas da saúde, como clínica médica e fisioterapia, e pode ajudar em casos de dores de cabeça, alterações funcionais digestivas e respiratórias. Esta é contraindicada em pacientes com câncer e quadros infecciosos, por exemplo.

— Não é um tratamento invasivo. Nosso instrumento de trabalho são as mãos. Respeitando as contraindicações do paciente, todos, do bebê ao idoso, serão beneficiados — diz Letizia.
Segundo o osteopata Henri Pelletier, a terapia pode aliviar incômodos e prevenir dores e até cirurgias:

— Tratamos a raiz do problema e, em consequência, as adaptações que o corpo faz. Por exemplo, se você torce o tornozelo, fica mancando e acaba tendo dor na bacia. Nós vamos perceber da onde veio a dor e adaptar o tratamento — conclui o osteopata.

Leia também



PATOM

Enquete