Pneumologista detalha sintomas e tratamento da fibrose pulmonar, causa da morte da cantora cearense Rita de Cássia

Exercícios físicos fazem parte da reabilitação pulmonar de pacientes com fibrose pulmonar
Exercícios físicos fazem parte da reabilitação pulmonar de pacientes com fibrose pulmonar

A fibrose pulmonar é uma doença crônica, progressiva e não infecciosa. A enfermidade causa cicatrizes nos pulmões, impedindo o funcionamento adequado do órgão. George Dantas, pneumologista do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), explica sobre as causas, o diagnóstico e o tratamento da doença que vitimou a cantora cearense Rita de Cássia, na última terça-feira (3). Segundo dados da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), há de 13 a 18 mil casos no País.

O pulmão é um órgão flexível, com capacidade de se expandir e de se encolher para permitir a respiração. Quando, por algum motivo, o aparelho fica endurecido ou apresenta cicatrizes em seu tecido, as trocas gasosas são comprometidas. Nesse contexto, o paciente é diagnosticado com fibrose pulmonar.

Causas
A doença adquirida ocorre por diversas causas. Na maioria dos casos, surge em pessoas com idade a partir de 50 anos, do sexo biológico masculino, tabagistas ou ex-tabagistas.

A enfermidade pode estar associada a exposições inalatórias a fatores ambientais como mofo e pássaros, a doenças autoimunes, do colágeno ou outras condições genéticas.

“Existem muitas causas e é importante avaliar a etiologia de cada caso para poder fazer o tratamento correto e adequado”, pondera Dantas.

Sintomas
Tosse seca e persistente, seguida da falta de ar aos grandes esforços e com piora progressiva estão entre os principais sintomas da fibrose pulmonar.

“Em geral, são esses os sintomas mais precoces. Na maioria dos casos, a doença tem evolução lenta, por isso, é muito importante uma investigação clínica e a realização de exames mais detalhados para fechar o diagnóstico de forma precoce e, assim, ter condições de estabilizá-la”, orienta o médico.

Tratamento
Ainda não existe cura para a fibrose pulmonar. O tratamento é feito com medicações para inflamação, buscando desacelerar o avanço da doença. Alguns pacientes apresentam redução da oxigenação sanguínea, sendo indicado, além de fármacos, o uso de dispositivos portáteis com suplementação de oxigênio.

“Em outros casos, quando a doença está muito avançada, alguns pacientes são encaminhados e acompanhados pelos serviços de transplante pulmonar. O procedimento possibilita uma melhor qualidade”, explica o pneumologista.

A fisioterapia respiratória também é uma aliada na terapia. No Hospital de Messejana, além dos ambulatórios especializados e do Serviço de Transplante, as pessoas recebem assistência da equipe de Reabilitação Pulmonar.

Por meio de programas de exercícios adequados e adaptados, os pacientes são assistidos por uma equipe multidisciplinar. Os benefícios da prática de atividades são muitos: aumentam a eficiência dos pulmões e a capacidade dos músculos, ampliando habilidades de autoajuda e promovendo uma melhor expectativa de vida.

*Governo do Ceará

Leia também



PATOM

Enquete