Renda da estreia do Guarani de Juazeiro é bloqueada pela Justiça do Trabalho

Torcida-Guarani

Nem tudo foi perfeito na estreia do Guarani de Juazeiro no Campeonato Cearense. Apesar da boa vitória sobre o Horizonte por 3 a 1, o clube não teve acesso à arrecadação financeira por conta de um bloqueio da Justiça do Trabalho. As causas se referiam ao ex-goleiro Valdo, ao técnico Carlos Octávio e Nayer, um jogador que passou pela equipe em 2005.

A renda da partida somou R$ 3 070, 00 e não conseguiria cobrir as despesas do jogo. O Leão do Mercado teve que arcar com um prejuízo de R$ 2 800,00, segundo o presidente Mário Vidal. “Esta semana vou entrar com uma ação judicial para que seja estabelecido percentual de 15% e não bloqueio integral da renda como estão fazendo”, prometeu o dirigente.

Valdo se destacou quando defendeu o Guarani, sendo titular em várias passagens pelo clube. Carlos Octávio foi treinador do Leão no Campeonato Brasileiro Série D de 2015, mas deixou o time por problemas de saúde. O único desconhecido é o lateral esquerdo Nayer, que acionou o clube em Colatina/ES. “Ele tirou uma foto com a camisa e entrou na justiça”, ironizou o presidente.

Mário Vidal lamentou a situação financeira do Guarani. “O pior é ter que ter o dinheiro da arbitragem antes de começar a partida sem ajuda da torcida”, disse. Sobre as causas trabalhistas, o presidente acha que poderia resolver, não fosse a crise que o clube atravessa. “Se a gente tivesse dinheiro, negociava e liquidava todos os processos”, encerrou.

As informações são do Blog do Fabiano Rodrigues com foto Eugenia Else/Rota Esportiva

Leia também



PATOM
IMG-20220706-WA0003

Enquete