Terceiro suspeito de latrocínio contra gestante em Juazeiro do Norte é apreendido

Delegacia Polícia Civil JN_Foto_Jota Lopes_AG. Caririceara (1)

Maria Cheyla Cristina Lima Lins (34), que estava grávida quando foi morta, na madrugada do domingo (5), em Juazeiro do Norte

Um adolescente de 14 anos foi identificado e apreendido, nesta quarta-feira (16), suspeito de participar do latrocínio que vitimou Maria Cheyla Cristina Lima Lins (34), que estava grávida quando foi morta, na madrugada do domingo (5), em Juazeiro do Norte. O mandado de apreensão do menor foi cumprido por agentes do Núcleo de Homicídios e Proteção à Pessoa (NHPP) da Delegacia da Regional de Juazeiro do Norte, unidade policial responsável pelas investigações. Na última quarta-feira (14), a Polícia Militar do Ceará (PMCE) conduziu o irmão do padrasto da vítima e um segundo suspeito que, no dia do crime, tinha 17 anos, para a delegacia. Os mandados judiciais que solicitavam a prisão do adulto e o recolhimento do menor foram cumpridos ontem (15).

Durante o curso das investigações, as diligências realizadas pela Polícia Militar e pela Polícia Civil resultaram na identificação dos envolvidos com base na reunião de evidências colhidas no local do crime, e também dos depoimentos dos próprios investigados. O principal suspeito de participação no latrocínio é irmão do padrasto da gestante. Ele foi identificado como Leandro Cardoso dos Santos (24), sem antecedentes criminais. Inicialmente ele negou participação no ocorrido, mas confessou o crime em novo depoimento dado aos investigadores. Conforme apurações, Leandro agiu na companhia de um adolescente, que na época da ocorrência, tinha 17 anos de idade e de outro menor de 14 anos. Os levantamentos apontam que Leonardo premeditou o crime e acertou os detalhes com o adolescente de 17 anos, que é vizinho da vítima. Já o outro menor deu apoio à ação.

Com a elucidação do caso, Leonardo foi indiciado pelos crimes de latrocínio (roubo com resultado morte), aborto provocado por terceiro, estupro de vulnerável e corrupção de menores. A soma das penas dos crimes pode chegar a 59 anos de prisão. O Poder Judiciário estabeleceu medida socioeducativa, conforme Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), aos dois menores infratores. A Polícia Civil segue investigando o caso no intuito de concluir o inquérito policial e remetê-lo à Justiça.

O crime

As investigações indicam que Maria Cheyla Cristina Lima Lins (34) estava em casa dormindo no quarto, junto ao filho de 4 anos, quando foi surpreendida pelos infratores mexendo no guarda-roupa. De acordo com as apurações, os suspeitos teriam esfaqueado e violentado sexualmente a mulher, que estava grávida de aproximadamente seis meses. Ainda conforme os levantamentos policiais, os infratores utilizaram um cabo de carregador de celular para imobilizar a vítima e cobriram o filho da vítima com um lençol para que ele não olhasse a cena.

Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), para o (88) 3102-1102, do Núcleo de Homicídios de Juazeiro do Norte, ou para o (88) 98828-9662, que é o WhatsApp do NHPP, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem de áudio, texto e vídeo. O sigilo e o anonimato são garantidos.

 

Leia também



PATOM

Enquete