Vigilante é executado a tiros em Campos Sales; durante o tiroteio uma segunda vítima foi atingida na face por uma bala perdida

Jean KIldery de Sousa, o “Kildinho”

Segundo a polícia, há suspeitas de que a morte do profissional de segurança possa ter sido crime de pistolagem.

DA AGÊNCIA CARIRICEARA
Redação – Foto: Redes Sociais

O piauiense natural de Pio IX, Jean KIldery de Sousa, o “Kildinho” como era mais conhecida a vítima, de 41 anos de idade foi morto a bala no inicio da noite deste domingo (09), em Campos Sales. Ele trabalhava como vigilante no Aeroporto daquele municipio e residia na rua da Lavanderia, 329, Bairro Alto Alegre.

O homicídio aconteceu no interior do estádio, o “Moraisão” por volta das 18h30min onde acontecia uma partida de futebol válida pelo campeonato municipal. Segundo foi apurado pela policia, dois homens desconhecidos chegaram numa moto preta e demais características não anotadas, estacionaram na parte externa do estádio vindo o garupeiro descer do veiculo, tirar o capacete e adentrar no campo se dirigindo até a vítima e efetuou três tiros a queima roupa fugindo em seguida enquanto “Kildinho” morria no local.

Na fuga o desconhecido ainda trocou tiros com um policial militar que estava do lado de fora do estádio não sendo o suficiente para conter os acusados. Minutos depois, a CIOPS Campos Sales foi comunicada por uma funcionária do hospital local que um homem de nome Carlos Alberto da Silva, 39 anos residente na rua Dr. Clovis, 270, bairro Guarani havia dado entrada naquela unidade hospitalar ferido de raspão no rosto com um tiro sofrido na hora do homicidio em que foi vitima o vigilante.

A polícia de Campos Sales informou ainda que denúncia anônima via 190, dão conta de que a morte de “Kildinho” teria sido um crime de pistolagem e que o mandante seria um homem de nome “Mauricio” filho de “Zé Bebim” que mora no bairro Barragem naquela cidade, o qual dias atrás teria ameaçado matar o vigilante por motivos ainda a serem investigados. A polícia  civil de Campos Sales deverá abrir inquérito nesta segunda-feira para apurar o caso.

A republicação é gratuita desde que citada a fonte.

Leia também



PATOM

Enquete